Projeto meu primeiro drone

Audaci Maria de Lima Silva

Projeto meu primeiro drone

Projeto de Audaci Maria de Lima Silva

Contribuição do projeto para a educação

O projeto tem foco como a iniciação científica atrelada a robótica com arduíno uno. Deste projeto participaram dez alunos na faixa etária entre 9 e 15 anos de idade que cursam na escola regular o ensino fundamental 1 ou 2. Eles desenvolveram o projeto no Clube de Robótica da Escola Itinerante de Informática – UTEC Móvel 3 que faz parte da rede municipal de ensino do Recife.

O tema do projeto é DRONES e, toda a pesquisa desenvolveu-se a partir da pergunta como o drone tem força para voar? Essa pergunta foi elaborada pelos alunos do clube de robótica. A partir dessa pergunta toda a pesquisa foi desenvolvida. Os alunos também construíram um protótipo de drone usando arduíno e um protótipo de aplicativo para acionar o drone.

Considero este projeto importante porque insere os estudantes no contexto da alfabetização cientifica permitindo que os mesmos resolvam situações problemas pesquisando, articulando diversas ideias e ampliando a visão de mundo. Com isso eles também aprendem a ver o erro como algo que faz parte do processo de aprendizagem e pode ser superado. Além disso, o projeto também é importante porque inclui a tecnologia através do trabalho com linguagem de programação com arduíno e através da construção de protótipo de aplicativo incentivando o aluno a produzir tecnologia.

Aspectos curriculares atendidos pelo projeto

O projeto foi criado para inserir o estudante no contexto da alfabetização científica e da robótica. O tema surge a partir de uma formação continuada que participei cujo um dos objetivos foi explorar as possibilidades pedagógicas do uso do drone na sala de aula. Essa formação foi proporcionada pela Secretaria de Educação do Recife. O projeto está alinhado com as orientações curriculares do Programa Municipal de Tecnologia na Educação atendendo ao principal objetivo “contribuir no atendimento às demandas sociais por uma formação de qualidade, tendo, como princípio, a tecnologia a serviço da construção e socialização do conhecimento, e do exercício da cidadania. Busca-se com isso o desenvolvimento do senso crítico, a criatividade, o trabalho colaborativo, e a autoria dos estudantes”. Dessa forma o projeto está alinhado com o currículo da rede municipal de ensino e, também com a BNCC do Ensino Fundamental especificamente na área de Linguagens no que se refere a competência “ compreender e utilizar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar por meio das diferentes linguagens e mídias, produzir conhecimentos, resolver problemas e desenvolver projetos autorais e coletivos.”

Valorização da diversidade e inclusão

O projeto conseguiu o total engajamento das meninas tanto no desenvolvimento da robótica como do protótipo de aplicativo. As meninas utilizaram alicates, resistores, chaves de fenda e fizeram circuitos com fios. Todas elas trabalharam de forma tranquila com os meninos que em nenhum momento tiveram atitudes machistas ou preconceituosas.

Atividades desenvolvidas no Projeto

• Apresentação do tema do projeto para a turma. Em seguida perguntei a turma o que eles queriam saber os drones. Cada estudante escreveu num pedaço de papel suas perguntas. A pergunta que mais se repetiu foi COMO O DRONE TEM FORÇA PARA VOAR?

• Em seguida a partir da pergunta inicial a turma através de uma roda de conversa montou uma resposta para a pergunta inicial.

• Realizei coma turma pesquisa na internet sobre as diferentes utilidades do drone nos dias atuais com debates sobre a legislação para o uso do drone no Brasil. Textos informativos foram lidos pelos alunos. Assistimos vídeos que ilustravam o funcionamento dos drones e pesquisamos muitas imagens das diversas parte dos drones.

• Leitura de texto informativo sobre as características do drone PHANTON 3 e como esse voo acontece. As leituras sempre eram acompanhadas de debates de ideias para que os questionamentos fossem sendo respondidos.

• Com o arduíno construímos alguns circuitos usando os componentes básicos( leds, servo motor, fios jumpers, protoboard e resistores). Também pesquisamos na internet exemplos de programação de leds para a partir delas montar nossas programações nos circuitos.

• Realização de pesquisas na internet de casos em que o drone é usado na segurança das pessoas.

• Fase 2 do projeto: Nesta fase coloquei os dois desafios para a turma:
DESAFIO 1: Construção de um protótipo de drone com materiais de baixo custo ou materiais recicláveis ,usando conceitos de medidas de comprimento e formas geométricas. Usar no protótipo alguns componentes básicos do arduíno uno. Testar o
protótipo.
DESAFIO 2: Idealizar um protótipo de aplicativo para que hipoteticamente as pessoas acionem o drone para que seu monitoramento possa evitar ações de insegurança para a população de uma comunidade fictícia.

• Construção do designer do protótipo de drone e aplicativo.

• Construção dos protótipos. Na construção do protótipo de drone a turma também recebeu orientações de um estudante do curso de Licenciatura em Computação da Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE. Este estudante da licenciatura
ajudou a construir a programação e a soldar alguns componentes. Testar os protótipos. Confrontar o aprendizado sobre o voo dos drones no que se refere aos textos lidos com a criação do protótipo.

• Registros do projeto no diário de bordo da turma.

• Sistematização coletiva de toda a pesquisa realizada durante o projeto.

Instrumentos utilizados na avaliação

Nesse processo do acompanhamento do aprendizado usei os seguintes instrumentos: observação ( dos alunos realizando as atividades em grupo); diário de bordo do projeto onde os alunos realizaram anotações sobre o desenvolvimento do projeto); debate de ideias; socialização das ideias finais relacionadas a conclusão da montagem dos protótipos para confrontar com a hipótese inicial. Nesta socialização de ideias os alunos também apresentaram sugestões para melhoria do protótipo de drone numa possível continuação do projeto.

Resultado observado

Os alunos participaram de maneira ativa do desenvolvimento do projeto em todas as suas etapas. Cresceram em autonomia intelectual: no decorrer do projeto era comum ver após os debates ver os alunos pesquisando palavras chaves na internet para selecionar links com textos que falavam sobre drones ou sobre o código de programação do arduíno. Eles também se subdividiram para realizar diversas tarefas durante as aulas. Também ficaram mais atentos e cuidadosos na hora de fazer registro escrito sobre o projeto ou nas horas em que precisavam apresentar seus argumentos oralmente. Apresentaram também um enorme interesse para dialogar sobre o entendimento da linguagem de programação no arduíno.

Eles tinham iniciativa de conversar sobre isso comigo/entre eles e com o estudante de Licenciatura em Computação da UFRPE. Embora o Clube de Robótica atendesse a diversas faixas etárias e séries, cada um dos alunos conseguiu dar uma boa contribuição dentro do seu nível de maturidade e os mais velhos sempre tinham tolerância para explicar os assuntos para os mais novos.

O texto deste projeto foi enviado pelo autor e é de responsabilidade do autor deste projeto.

Projeto ajuda no desenvolvimento de quais competências?

ConhecimentoCultura digitalPensamento científico, crítico e criativo

Horas/Aulas aplicadas ao projeto.

50 horas diárias

50 horas diárias

Público-alvo do projeto.

Fundamental II

Horas/Aulas aplicadas ao projeto.

Parque

Escola Pública

Escola Particular

Quantidade adequada de participantes.

10 participantes

10 participantes

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Imprimir Página