Jogos & brincadeiras populares: Um passeio por diferentes culturas

Maria do Perpetuo Socorro Sarmento Pereira

Jogos & brincadeiras populares: Um passeio por diferentes culturas

Projeto de Maria do Perpetuo Socorro Sarmento Pereira

Contribuição do projeto para a educação

Neste projeto, o processo de construção do saber no conteúdo jogo, buscou desafiar o aluno a inúmeras ações: a defesa de ideias, o protagonismo, o poder de argumentação, o julgamento, a tomada de decisão, pesquisa e respeito a diversidade (africana, indígena, ribeirinha, …). As turmas envolvidas foram os dos 2o anos do ensino médio da Escola Estadual de Ensino Médio Deputado Raimundo Ribeiro de Souza, em Tucuruí – Pará. Entendendo o conhecimento como mediador do processo de ensino – aprendizagem, ou seja, entre o aluno e a realidade complexa que o cerca, sendo o aluno protagonista da construção do conhecimento, no contexto de uma sociedade marcada por diferenças culturas.

Nesta perspectiva, o projeto foi organizado de modo a apresentar a importância do jogo – brincadeira para o desenvolvimento da humanidade e preservação – divulgação das diferentes culturas lúdicas, proporcionando um maior envolvimento-protagonismo e participação dos alunos, gerando uma mobilização por parte deles em relação ao conteúdo em questão. Além disso, percebeu-se que a estratégia de ensino desenvolvida contribuiu para o desenvolvimento da interpretação, reflexão, da imaginação, do senso crítico, da expressão oral e dos questionamentos dos alunos envolvidos com o conteúdo – projeto.

Este conteúdo foi efetivado a partir dos fundamentos teóricos da Cultura Corporal do movimento, buscando a espontaneidade, flexibilidade, criatividade, fantasia e expressividade, representadas de diversas formas, próprias de cada cultura, buscando respeitar a diversidade cultural. As regras foram tratadas sem rigidez, sendo previamente discutidas e combinadas pelos participantes, que poderão modificá-las ou não, de acordo com o interesse do grupo. O conteúdo trimestral jogo foi desenvolvido em 24 aulas – 2 horas semanais, com a participação de 10 turmas do 2º ano do ensino médio regular.

A importância deste conteúdo para a educação, está na representação e preservação das raízes históricas e culturais de diversos povos, bem como as transformações ocorridas ao longo do tempo que possam ter causado modificações no modo como se joga-brinca determinado jogo-brincadeira em diferentes culturas. É importante, também, considerar o jogo em seu processo de criação, recriação e readaptação, levando-se em conta as possíveis influências políticas, econômicas e sociais pelas quais tenha passado, dando-lhe uma nova configuração e uma compreensão crítica. Enfim, é uma produção humana que tem um “(…) significado dentro da produção coletiva dos homens vivendo em sociedade” (BRUHNS, 1996, p.29). Assim como, incentivar uma aprendizagem ativa através do hábito de pesquisar, ler, escrever, colaborar e incluir, onde a inclusão é entendida no sentido da diversidade nos aspectos sociais: orientação sexual, etnia, raça, crença, status socioeconômico, necessidades especiais e diferentes culturas.

Aspectos curriculares atendidos pelo projeto

Na aula inicial, em uma roda de conversa com os alunos sobre o conteúdo jogo, ficou evidente a falta de interesse e até mesmo desprezo por parte da maioria dos alunos pela proposta inicial, conteúdo jogo como diversidade cultura (alunos queriam apenas futebol). Então, resolvi persistir e construí o projeto que posteriormente apresentei às turmas, onde a cada etapa efetivada fazíamos uma avaliação colaborativa e partíamos para o momento seguinte.

Assim, se buscou valorizar a compreensão dos processos de produção e negociação de sentidos nas práticas corporais, reconhecendo-as e vivenciando -as como formas de expressão de valores e identidades, em uma perspectiva democrática e de respeito à diversidade (BNCC – Competência 05). Nesta perspectiva, os estudantes refletiram sobre suas preferências, seus valores, culturas, preconceitos e estereótipos quanto às diferentes culturas, diversidades e práticas corporais.

Valorização da diversidade e inclusão

– Durante o processo de pesquisa sobre jogos-brincadeiras em diferentes culturas: indígena, africana, ribeirinha, … se buscou conhecer essas diferentes culturas e sua diversidade, assim como a necessidade de respeitar tais diversidades. E, também se construiu formas de proporcionar o acesso a este conteúdo aos deficientes visuais, buscando respeitar a diversidade de pessoas e das formas de aprendizagem, com respeito à diversidade de saberes, identidades e culturas.

– Cada turma teve um grupo responsável pela construção de maquetes táteis para deficientes visuais dos jogos – brincadeiras pesquisadas.

– A turma experimentou com os olhos vendados o manuseio das maquetes táteis, em uma dinâmica onde tentavam adivinhar qual era o jogo que estavam tateando e escolheram a brincadeira “pular corda” para realizarem com os olhos vendados. Posteriormente, relataram sua experiência para a turma e que mudou após sua experiência.

Desta forma, se almejou garantir também, a ODS 4 em seu objetivo 4, onde busca assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos, sem exclusão.

Atividades desenvolvidas no Projeto

O projeto foi realizado no período de outubro a dezembro de 2018. 1o momento: Apresentação da proposta e planejamento coletivo das etapas e ações do projeto.

– Cada aluno escreveu em uma folha as expectativas sobre o conteúdo;
– Levantamento oral das brincadeiras conhecidas pelos alunos e listados no quadro;
– Leitura da tela jogos infantis (1560) de Pieter Brueghel com exploração dos tipos de brincadeiras retratados;

2o momento: Exposição dos objetivos de ensino- aprendizagem neste trimestre e leitura da tela jogos infantis (1560) de Pieter Brueghel com exploração dos tipos de brincadeiras retratados.

3o momento: Formação dos grupos de estudo, onde cada grupo teve no máximo 08 alunos. Os grupos foram divididos da seguinte forma:
– Grupo 01: Jogos e brincadeiras populares Indígenas e ribeirinhas.
– Grupo 02: Jogos e brincadeiras populares africanas.
– Grupo 03: Jogos e brincadeiras populares urbanas – Do cotidiano do aluno.
– Grupo 04: Pesquisa sobre a vivência dos servidores da escola com jogos-brincadeiras populares.
– Grupo 05: Pesquisa sobre as obras de artes que retratavam jogos-brincadeiras populares.
– Grupo 06: Construção de maquetes táteis para deficientes visuais dos jogos – brincadeira.

4o momento:
– Elaboração de um roteiro de entrevista para conhecer outros jogos-brincadeiras e como era realizado no passado, fazendo uma comparação com a atualidade.
– Realização da pesquisa coletiva, onde as pesquisas foram realizadas em livros, internet, entrevista com os familiares dos alunos e servidores da escola, onde, posteriormente retornavam às aulas semanais com a pesquisa a ser exposta em sala de aula e para tirar as dúvidas existentes.

5o momento:
– Sistematização dos resultados, acrescentado os nomes dos jogos-brincadeiras selecionados no quadro.
– Descrição dos jogos-brincadeiras e pesquisa feita com os servidores da escola.
– Produção dos desenhos (ilustração), para escolha do desenho que fará parte do livro.
– Correção ortográfica– Realizado pelos alunos envolvidos sob orientação do professor mediador.
– Seleção através de votação no quadro, dos jogos-brincadeiras que farão parte do livro e da I Mostra de Jogos & Brincadeiras populares: um passeio por diferentes culturas.
– Elaboração coletiva da apresentação, dedicatória, agradecimento, sumário e dados dos autores.

6o momento: Após o momento descrito anteriormente, foi organizado o livro: Jogos & Brincadeiras populares: um passeio por diferentes culturas.

7º momento: Seleção dos jogos que serão construídas as maquetes táteis, com posterior construção, objetivando que alunos e visitantes deficientes visuais possam perceber como são desenvolvidos estes jogos- brincadeiras. Também foi realizada impressão em braile do nome de cada brincadeira exposta nas maquetes.
– Foram construídas maquetes explicativas dos jogos – brincadeiras pesquisadas: Maquetes táteis, para que os alunos deficientes visuais pudessem ter acesso a todos os jogos – brincadeiras construídas, onde as maquetes foram construídas com diferentes tipos de materiais recicláveis: papel, barbante, miçangas, sementes, E.V.A, tecidos, …

8o momento: Realização da I Mostra de Jogos & Brincadeiras populares: um passeio por diferentes culturas, lançamento do livro de jogos & brincadeiras, exposição das maquetes táteis e realização dos jogos e brincadeiras populares com os visitantes.
– Organização do dia do lançamento do livro com entrega do livro à biblioteca da escola e a cada aluno participante.
– Cada turma construiu um estande, onde expôs e explicou o material desenvolvido-construído ao longo do trimestre e realizou os jogos-brincadeiras com os visitantes.

Observação:
• Durante o desenvolvimento do projeto foi muito interessante os alunos descobrirem a origem das brincadeiras que conhecem e/ou brincam atualmente, onde muitas permanecem com as mesmas regras e outras sofreram algumas modificações.
• Na realização da mostra, muitos visitantes, ás vezes pais levando seus filhos (as) se surpreendiam pelo fato de perceberem que seus filhos (as) não conheciam e nem sabiam brincar.
Produção final:
– Realização da I Mostra de jogos & brincadeiras populares: um passeio por diferentes culturas:
– Estandes com a exposição dos jogos & brincadeiras à comunidade em geral.
– Apresentação de maquetes táteis.
– Lançamento do Livro: Jogos & brincadeiras populares: um passeio por diferentes culturas.
– Exposição da pesquisa realizada pelos alunos com os servidores da escola.

Instrumentos utilizados na avaliação

– Métodos de avaliação:
• Atividades coletivas – colaborativas.
• Mostra e Seminário.
• Roda de conversa.
• Debate/reflexão

– Materiais necessários:
• Área livre para a exposição.
• Papel sulfite, Folha E.V.A, Materiais escolares, Cartolina, Barbante, Cola, Miçangas, tinta, latas,
elástico. Garrafa pet, papelão, cubo mágico, madeira, patins, folha de compensado e bola.
• Impressora braile
• Papel microcapsulado para impressão em braile
• Serviço de editoração e impressão de livro.

Resultado observado

– Através da observação-registro do envolvimento e evolução de cada aluno ao longo das etapas do projeto de forma personalizada (individual), pois existem formas diferenciadas de aprendizagem.
– Feedback constante, para avaliar também se os métodos usados estão facilitando o processo de ensino-aprendizagem ou não, assim, fazer as mudanças necessárias para que todo aluno possa aprender a conhecer, fazer, conviver e ser.

O texto deste projeto foi enviado pelo autor e é de responsabilidade do autor deste projeto.

Projeto ajuda no desenvolvimento de quais competências?

ConhecimentoComunicaçãoRepertório culturalTrabalho e projeto de vidaEmpatia e cooperação

Horas/Aulas aplicadas ao projeto.

2 horas diárias

2 horas diárias

Público-alvo do projeto.

Médio

Horas/Aulas aplicadas ao projeto.

Parque

Escola Pública

Escola Particular

Quantidade adequada de participantes.

40 participantes

40 participantes

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Imprimir Página